Leve Bocaiúva comigo

Leve Bocaiúva comigo

Meu Senhor do Bonfim,

hoje venho lhe fazer uma oração encabulada. Sei da precisão de muita gente por seus milagres, mas ei de me arriscar a um pedido apressado. Explico meu pensamento para modo de entender a agonia. “Se um dia para longe eu for e da minha memória, Bocaiúva se apagar?”.

Tenho estado em desassossego. Por isso, meu Senhor do Bonfim, se porventura outro rumo tomar, carregue comigo minha terra. Não me deixe esquecer da resistência do meu povo sertanejo, das roças, do mato e da areia. Não me negue o canto dos catopês, pela graça de São Benedito, Nossa Senhora do Rosário e do Divino Espírito Santo.

Se essa andança vier, ao menor sinal de tristeza de meus dias, me sacuda a felicidade pelo som de uma viola. Sopre a poesia bonita de Cecílio, os traços de Henfil e o sorriso de troça de Betinho. Transforme minha saudade em gostosura.
Não me deixe esquecer, se apaixonado eu ficar, de que até o sol e a lua escolheram Bocaiúva para namorar.

Meu Senhor do Bonfim, assim termino minha prece, e se ela atender, não me deixe faltar orgulho de contador de histórias, pois se o destino me mandar correr o mundo, conceda a graça para eu seguir essa andança sempre a falar de minha terra.