Quem me expõe é o mar

Quem me expõe é o mar

 
Moradores no Festival Paraty em Foco.

Uma galeria-ambulante que navega pelos mares de Paraty. Moradores – A Humanidade do Patrimônio Histórico será uma das surpreendentes exposições de ocupação urbana que fazem parte da programação oficial do maior festival de fotografia do Brasil, o 8º Paraty em Foco, que começa quarta-feira (26/09).

Além da exposição fotográfica , também será exibido um filme curta-metragem na grande noite do Paraty em Foco, sábado (30/09), às 20h30.

Tudo começou do jeitinho simples de sempre: uma tenda branca montada na Praça do Chafariz, uma câmera apontada e um convite. E naquele instante, mais do que o ato de se deixar fotografar, o morador de Paraty foi chamado a se posicionar como patrimônio cultural de sua cidade.

Além de ser um manifesto pela democratização do retrato, Moradores é um dedo na ferida exposta provocada pelo extermínio global da diversidade cultural como patrimônio comum da humanidade. Um processo onde os moradores são tema, pois carregam em sua história o objeto a ser valorizado (a identidade cultural); são também parceiros, já que sem a aceitação ao desafio de se posicionarem como patrimônio humano, não haveria motivo para o movimento; e, ao mesmo tempo, são público-alvo, pois a função social do projeto é provocar neles o orgulho de se enxergarem como tal.

“Por isso, levamos os moradores da cidade para o centro da exposição; para que se valorizem e, ao mesmo tempo, sintam orgulho do patrimônio que representam”, explica o fotógrafo Marcus Desimoni, um dos autores do projeto, ao lado de outro fotógrafo, Bruno Magalhães, do jornalista Gustavo Nolasco e do diretor Alexandre Baxter.

O diretor geral do Paraty em Foco, Iatã Cannabrava, fala sobre o conceito do projeto Moradores.

O curador das exposições e projeções do 8º Paraty em Foco, Claudi Carreras, fala sobre a interação do projeto Moradores com a população da cidade.

>